quinta-feira, 2 de outubro de 2008

EXERCÍCIOS COSTAS

BARRA FIXA

Suspenso na barra fixa, mãos bem afastadas em pronação:
- Inspirar e realizar uma tração para levar a nuca quase em contato com a barra. Expirar no final do movimento.

Este exercício, que exige uma certa força, é excelente para desenvolver os conjuntos das costas. Ele solicita igualmente os bíceps, p braquial, o braquiorradial e o peitoral maior.


BARRA FIXA EM SUPINAÇÃO
Suspenso na barra fixa, mãos afastadas em supinação á largura dos ombros:
- Inspirar e realizar uma tração, potraindo o peito, de modo a levar o queixo até a altura da barra. Expirar no final do movimento.
Este movimento permite desenvolver o latissímo do dorso e o redondo maior, associando o trabalho intenso o bíceps braquial e do braquial. A esse respeito, ele pode participar da composição de um programa especifico para os membros superiores.
São também solicitados os trapézios (parte transversa e ascendente), o rombóide e os peitorais. A realização deste exercício exige uma certa potência. Para maior facilidade pode ser feito com polia alta.

PULLEY FRENTE
Sentado em frente ao aparelho, membros inferiores apoiados, barra segura em pronação, mãos bem afastadas:
- Inspirar e puxar a barra até a incisura supra-esternal, insuflando o tórax, levando o cotovelo pra trás. Expirar no final do movimento.
Este exercício é excelente para desenvolver as costas em espessura, trabalha sobretudo as fibras superiores e centrais do latissimo do dorso. São também solicitados o trapézio (parte transversa e ascendente), o rombóide, o bíceps braquial e, com menor intensidade, os peitorais.

PULLEY COSTAS
Sentado, em frente ao aparelho, coxas posicionadas sob o apoio, barra segura com as mãos em pronação, bem afastadas:
- Inspirar e puxar a barra até a nuca, levando os cotovelos ao longo do corpo;
- Expirar no final do movimento.
Este exercício, excelente para desenvolver as costas em largura, trabalha o latissimo do dorso (principalmente suas fibras externas e inferiores) e os redondo maiores. São também solicitados os flexores dos cotovelos (bíceps braquial, braquial e braquiorradial), assim como os rombóides e a parte descendente do trapézio, este dois últimos atuando na aproximação das escápulas.
Para os iniciantes, as puxadas com polia alta são muito úteis por permitirem a aquisição de força suficiente para passar, em seguida, as trações na barra fixa.

PULLEY COM PUXADOR
Sentado, em frente ao aparelho, joelhos bloqueados:
- Inspirar e trazer o puxador até o esterno, insuflando o tórax, e inclinando levemente o tronco pra trás. Expirar no final do movimento.
Este exercício é excelente para desenvolver o conjunto do latissimo do dorso e do redondo maior.
Durante a aproximação da escápulas, o rombóide, o trapézio e a parte espinal do deltóide são solicitados. Como em todas as puxadas, o bíceps braquial e o braquial participam e a pegada em semipronação faz com que o braquirradial participe intensamente.

REMADA BAIXA COM PUXADOR
Sentado, em frente ao aparelho, pés sobre o apoio, tronco flexionado:
- Inspirar e levar o puxador até a base do esterno, estendendo a coluna e os ombros, puxando os cotovelos pra trás o mais distante possível. Expirar no final do movimento.
Este exercício é excelente para trabalhar as costas em espessura. Localiza o esforço sobre o latíssimo do dorso, o redondo maior, a parte espinal do deltóide, o bíceps braquial, o braquial, o braquiorradial e, no final do movimento, durante a aproximação das escápulas, sobre os trapézio e o rombóide.
Durante a extensão da coluna, os eretores da espinha também participam. Este movimento permite, na fase negativa, deixando-se puxar pelo peso, alongar, alongar a região dorsal.
Atenção: Para evitar qualquer risco no nível das costas, é importante jamais arrendondá-las durante as puxadas com polia baixa com cargas pesadas.

REMADA UNILATERAL
Mão segurando o haltere, em semipronação, mão e joelhos opostos apoiado sobre um banco:
- Com as costas fixas, inspirar e puxar o haltere o mais alto possível, estendendo o ombro com o membro superior ao longo do corpo, e levar o cotovelo bem pra trás.
Expirar no final do movimento.
Para uma contação máxima, é possível a realização de uma discreta torção do tronco no final da puxada.
Este exercício trabalha principalmente o latissimo do dorso, o redondo maior, a parte espinal do deltóide e, no final da contração o trapézio e o rombóide.
Os flexores do cotovelo: braquial, o bíceps e o braquiaorradial são também solicitados.

REMADA CURVADA
Em pé, joelhos levementes flexionados, tronco inclinado a 45, costas bem retas, barra segura em pronação, mãos afastadas além da largura dos ombros e membros superiores pendentes:
- Inspirar, realizar um bloqueio respiratório e uma contração isométrica da regial abnominal, puxar a barra até o peito;
- Retornar a posição inicial e expirar.
Este exercício solicita o latissimo do dorso, o redondo maior, a parte espinal do deltóide, os flexores do cotovelo (bíceps, braquial, braquiorradial) e, durante a aproximação das escápulas, o rombóide e o trapézio. A posição inclinada do tronco exige a contração isométrica dos musculos espinais.
Deve ser observado que a variação da posição das mãos, da distância e da pegada (pronação ou supinação), permite modificando também a inclinação do tronco, trabalhar as costas sobre vários ângulos.
Atenção: Para evitar qualquer risco de lesão, é importante jamais arredondar as costas durante a execução do movimento.

REMADA CAVALINHO
Em pé, joelhos levemente flexionados, barra passando entre as pernas, costas bem retas, tronco inclinado a 45 ou repusando ventralmente sobre o banco inclinado, caso o aparelho o possua:
- Inspirar e levar a barra segurada em pronação até o peito.
Expirar no final do movimento.
Este exercicio, semalhante a puxada horizontal, pemite um melhor concentração do trabalho sobre as costas, devendo o executante realizar um menor esforço para o posicionamento.
Ele coloca em ação sobretudo o latissimo do dorso, o redondo maior, a parte espinal do deltóide, os flexores do cotovelo, assim com o trapézio e o rombóide.
OBS: Invertendo a pegada das mãos, isto é, pegada em supinação, uma parte do esforço sera transferida para os biceps e para a porção descendente do trapézio no final da puxada.
Atenção: Durante a puxada na barra T sem apoio ventral, é importante jamais arrendondar as costas, para evitar o risco de lesão.

3 comentários:

marcos disse...

olha tudo bem
gostei muito da sua postagem.
gostaria que vc postagem mas coisas ou exercicios para o peito

nandinha disse...

Gostei das instruções e com certeza estarei colocando algumas em meus treinos.

Roberto Filho disse...

Gostei Muito da sua postagem. Era o que eu tava procurando uma informação bem objetiva.

musculação

Loading...

Qual seu objetivo com a prática da musculação?

Quem sou eu

Minha foto
Professora de educação física , pós graduada em atividades aquáticas e fisiologia do exercício, em busca constante de novos desafios profissionais.

musculação hoje

Loading...